Quarta-feira, 31 de Maio de 2006

És aquela...

És aquela miúda única e especial. Sei que já te disse isto vezes sem conta mas és sem dúvida a pessoa com mais força interior que eu conheço! Conheço-te como as palmas das minhas mãos, conheço-te como me conheço a mim. Conheço o teu sorriso triste, conheço o teu sorriso eufórico, conheço todas as características que tu aprecias nos rapazinhos, conheço até as tuas lágrimas que nós sabemos que nem toda a gente conhece, conheço a tua carinha de sono, o teu ressonar bem sonoro que me chateia imenso, conheço a pipinha criança, terrorista, que queria todos os brinquedos só para ela e conheço a pipinha que amadureceu depressa demais. Nem me lembro quando deixaste de ser menina para passares a ser aquela pessoa madura, positiva e espectacula que és.

És aquela que nunca se esquece da mana, que não se esquece das promessas feitas, dos momentos especiais que passámos juntas e que guardámos nos nossos corações, num cantinho só nosso, és aquela que dia sim, dia sim me manda mensagens a dizer "MELHOR AMIGA ÚNICA E ESPECTACULAR EU TI AMO!" e és aquela que eu sei que ama mesmo!

E porque hoje recebi inúmeras mensagens de amor, amizade, carinho e preocupação tuas não podia deixar de pôr neste cantinho meu algo para ti...és sem dúvida um dos grandes motivos que me fazem levantar todas as manhãs da caminha e pensar que a vida é bela!

AMO-TE MINHA MANA LINDA...

 


publicado por coraxaodemanteiga às 00:48
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 30 de Maio de 2006

Dia muuuuuuito sim...

Hoje sinto-me uma criancinha feliz...tão ingénua que sinceramente não consigo ver nenhum mal hoje no mundo! Sinto um sorrisinho na cara que não sai...nem podia se o coração está tão feliz!

Quero te agradecer por seres quem és, por seres a pessoa única e especial que és. Por saberes cuidar do meu coração melhor do que ninguém e por seres o meu amor perfeito, que me compra colares e me escreve mensagens bonitas, que me dá a mão na rua e que me abraça no meio de todas as praças. Tens um sorriso enorme e sempre que olhas para mim, sinto uma fábrica de borboletas no estômago e tenho vontade de rir e de chorar ao mesmo tempo, porque sabes fazer-me a pessoa mais feliz do mundo.

Amo-te muito meu amor...

 


publicado por coraxaodemanteiga às 23:47
link do post | comentar | o que dizem??? (2) | favorito
Segunda-feira, 29 de Maio de 2006

Para a vida...

Enquanto os barcos sobem o rio e a Norah Jones namora comigo no prato do cd, apetece-me escrever sobre namorar. No mês de S. Valentim, olho à minha volta e tento contar os pares de namorados que conheço. A mão direita talvez chegue; o resto, são histórias, casos, encontros, desencontros, empurrões, equívocos, enganos, esquemas, casos mal resolvidos. Parece-me que anda quase toda a gente em trânsito, com muita pressa e pouco norteio, e um bocadinho ao lado daquilo com que sonhou. Mulheres e homens hasteando bandeiras de orgulhosa mas involuntária solidão, meninas mimadas à espera de encontrar o Príncipe Encantado no primeiro par de calças que com elas se cruza e rapazes que não querem crescer, mesmo depois dos quarenta, desejando secretamente que a sua princesa – que eles querem mesmo que exista – demore só mais uns meses a aparecer. E depois há os outros, os que acreditam numa relação e decidem investir nela.
Entre os pares de namorados que conheço, alguns estão casados há mais de 40 anos, outros têm menos de 25 anos e não têm planos de casamento, mas há uma coisa que o une: a vontade de estar com alguém senão para a vida, pelo menos na vida, já que viver só é coisa de bicho e mesmo assim, são poucos os que assim vivem.
Estes pares de namorados conjugam os verbos estar, partilhar e viver sem pensar no que isso implica. A explicação é simples: mais ou menos carentes, mais ou menos afectivas, são pessoas sem medo de dar amor, mesmo sabendo que nada é seguro e fiável, que nada é para a vida, a não ser a morte. E namorar é isto mesmo, viver a dois.
Dá muito trabalho viver a dois, mesmo que não se viva debaixo do mesmo tecto. É como se a nossa vida deixasse de ser completamente nossa; há outro, uma outra pessoa que também a vive connosco, que faz parte dela. Uma pessoa que cuida de nós e de quem precisamos de cuidar. Alguém que, antes de nós, já viveu uma vida inteira, já amou outras pessoas e já lambeu as feridas. Alguém que é um conjunto intrigante e complexo de defeitos, qualidades e experiências, alguém único e difícil de entender, tal como nós. Mas, acima de tudo trata-se de alguém que gosta de nós. E que gosta tanto que é connosco que quer partilhar a vida.
Parece simples, mas deve ser a coisa mais complicada do mundo. Mas então porque é que as relações são cada vez mais fugazes e difíceis de manter? Será que natureza humana afinal é mesmo polgâmica, apesar de todas as ditaduras da religião? Ou será que, estando a espécie tão protegida, nós, humanos seguros e individualistas, estamos a perder o instinto gregário? Afinal, porque é que é tão difícil estabelecer relações duradouras?
Eu tenho uma teoria, coisas de escritora: eu acho que as pessoas não estão para se chatear. Que o novo é irresistível, e há sempre pessoas novas e não tem piada nenhuma resistir-lhes. O zapping não é só um vício de quem passa horas sentado em frente à televisão a vegetar, também pode ser um modo de vida. E como o homem é um animal de hábitos, as pessoas habituaram-se a viver assim. Mesmo que isso represente andar a brincar aos namorados, aos casados, aos pais e às mães dos filhos dos outros, mesmo que assim o preço da solidão adiada, se pegue com uma factura maior.
Dá muito mais trabalho namorar. Mas também dá muito mais gozo. Como diz o Mick no filme Monstros & Companhia, sou tão romântico que me podia casar comigo mesmo. Eu também podia, mas era uma grande chatice. Prefiro procurar no outro as diferenças que nos unem. Prefiro investir, programas viagens com meses de antecedência, sonhar casas em terrenos baldios, dar a mão, oferecer músicas e palavras, dormir agarrada e acordar com o mais belo sorriso do mundo ao lado como meu despertador particular. Prefiro conjugar os verbos estar, partilhar e viver, sem pensar no que isso implica. Viver um dia atrás do outro, de vez em quando pensar no futuro, de vez em quando ter saudades do passado, mas não perder o fio dos dias, a paz construída que me dá serenidade e segurança. Não vale isso muito mais do que andar aos tiros para o ar, numa de tentativa e erro, a cansar o corpo e coração, em guerras de amor?

publicado por coraxaodemanteiga às 19:51
link do post | comentar | o que dizem??? (2) | favorito

Dar é ser...

O fruto é cego. É a árvore que vê. A árvore sabe que o fruto vai nascer. Todos os anos a árvore carrega os frutos até que caiam, até que alguém os vá arrancar. E sem os seus filhos, a árvore prepara-se para dar mais filhos no ano seguinte. A árvore cresce na solidão. Fala com a terra, mas ninguém ouve. Conversa com os pássaros, mas só eles entendem. Discute com as outras árvores, mas quase nem se percebe, apenas o som tranquilo a que chamamos vento.
A árvore já é árvore ainda antes de nascer. Sabe que vai ser grande, que vai passar a altura dos telhados, que vai assistir à partida daqueles que mais se ama, à chegada de outros, cujo regresso era impensável. A árvore cresce no silêncio, com ajuda do sol, às vezes fustigada pelo frio, às vezes maltratada pelo homem. E aguenta tudo. Isto é, se não quiser morrer. Porque as árvores são como as pessoas: se elas quiserem morrer, nada as prenderá a este mundo. Mesmo que as raízes nunca sejam arrancadas, a árvore escolhe outra existência, parte-se, parte e desiste, como nós.
O fruto é cego. Nasce pequeno, frágil, torto. Depois arredonda, cresce, convence-se que é gente, pendura-se no tempo, dança com o vento, pensa que vai ser feliz, brinca com o sol. E um dia cai. Fica a árvore, fica o medo, fica a noção incontornável da mudança, da insegurança, de tudo o que é hoje verdade, amanhã desapareceu.
Mas o fruto não sofre, porque não vê e como não vê, não sabe nada. A árvore assiste. Tranquila, porque conhece o universo e as suas regras. E sabe que a primeira regra é que as regras mudam. E muda o tempo. E muda o modo. E muda o mundo. A árvore assiste a tudo, serena, como uma sábia, como uma velha índia, como uma avó. A árvore esconde o mundo no tronco e dá comida nos ramos. A árvore sabe que quanto mais se dá mais se tem, que dar é a melhor forma de viver, que dar é ser. A árvore espera que o mundo melhore, sem esperar nada dos homens. E cala a dor, a tristeza, a solidão, a paixão nunca vivida de um abraço. E quando está cansada, aquece os homens e consome-se, gloriosa e bela, num festival sublime de fogo e cor. E dança para nós, perfeita nos seus derradeiros momentos.
A vida é bela enquanto nos consome. A vida é bela mesmo antes do nascimento. A vida é bela porque é cruel, porque é curta, porque é imprevisível. E a árvore sabe que faz parte da vida, que pode guiar os homens ou os frutos, por isso por isso não desiste, por isso fica.

 

 


publicado por coraxaodemanteiga às 19:33
link do post | comentar | favorito
Domingo, 28 de Maio de 2006

Príncipe...


A pessoa certa não é a mais inteligente, a que nos escreve as mais belas cartas de amor, a que nos jura a paixão maior ou nos diz que nunca se sentiu assim. Nem a que se muda para nossa casa ao fim de três semanas e planeia viagens idílicas ao outro lado do mundo. A pessoa certa é aquela que quer mesmo ficar connosco. Tão simples quanto isto. Às vezes demasiado simples para as pessoas perceberem. O que transforma um homem vulgar no nosso príncipe é ele querer ser o homem da nossa vida. E há alguns que ainda querem.
Os verdadeiros Príncipes Encantados não têm pressa na conquista porque como já escolheram com quem querem passar o resto da vida, têm todo o tempo do mundo; levam-nos a comer um prego no prato porque sabem que no futuro nos vão levar à Tour d’Argent; ouvem-nos com atenção e carinho porque se querem habituar à música da nossa voz e entram-nos no coração bem devagar, respeitando o silêncio das cicatrizes que só o tempo pode apagar. Podem parecer menos empenhados ou sinceros do que os antecessores, mas aquilo a que chamamos hesitação ou timidez talvez seja apenas uma forma de precaução para terem a certeza que não se vão enganar.
O Príncipe Encantado não é o namorado mais romântico do mundo que nos cobre de beijos; é o homem que nos puxa o lençol para os ombros a meio da noite para não nos constiparmos ou se levanta às três da manhã para nos fazer um chá de limão quando estamos com dores de garganta. Não é o que nos compra discos românticos e nos trauteia canções de amor no voice mail, é o que nos ouve falar de tudo, mesmo das coisas menos agradáveis. Não é o que diz Amo-te, mas o que sente que talvez nos possa amar para sempre. Não é o que passa metade das férias connosco e a outra metade com os amigos; é que passa de vez em quando férias com os amigos. O Príncipe que sabe o que quer, não é o melhor namorado do mundo; é o marido mais porreiro do mundo, porque não é o que olha todos os dias para nós, mas o que olha por nós todos os dias. Que tem paciência para os meus, os teus, os nossos filhos e que ainda arranja um lugar na mesa para os filhos dos outros. Que partilha a vida e vê em cada dia uma forma de se dar aos que lhe são próximos. Que ajuda os mais velhos a fazer os trabalhos de casa e põe os mais novos a dormir com uma história de encantar. Que quando está cansado fica em silêncio, mas nunca deixa de nos envolver com um sorriso. Não precisa de um carro bestial, basta-lhe uma música bestial para ouvir no carro. Pode ou não ter moto, mas tem quase sempre um cão. Gosta de ler e sai pouco à noite porque prefere ficar em casa a namorar e a ver o Zapping. Cozinha o básico, mas faz os melhores ovos mexidos do mundo e vai à padaria num feriado. O Príncipe é um Príncipe porque governa um reino, porque sabe dar e partilhar, porque ajuda, apoia e nos faz sentir que somos mesmo muito importantes.
Claro que com tantos sapos no mercado, bem vestidos, cheios de conversa e tiradas poéticas, como é que não nos enganamos? É fácil. Primeiro, é preciso aceitar que às vezes nos enganamos mesmo. E depois, é preciso acreditar que um dia podemos ter sorte. E como o melhor de estar vivo é saber que tudo muda, um dia muda tudo e ele aparece. Depois, é só deixa-lo ficar um dia atrás do outro... e se for mesmo ele, fica.

publicado por coraxaodemanteiga às 15:07
link do post | comentar | favorito

Tudo deixa marcas...

era uma vez um pastor que vivia numa zona pequena com a sua mulher e os seus filhos... certo dia resolveram lançar um boato sobre ele! o boato foi de tal maneira forte que as pessoas diziam que o melhor que o pastor tinha a fazer era ir embora daquela terra! Mas o pastor não foi...ficou!

Passado uns tempos as pessoas que tinham resolvido lançar aquele boato, arrependidas, foram pedir perdão ao pastor. O pastor perdoou mas disse que eles tinham d fazer algo, ao que eles responderam que fariam com toda a certeza. Então o pastor disse:

-Têm de matar uma galinha, tirarem-lhe todas as penas e porem as penas num saco. Depois vão com o saco que tem as penas e deixam umas quantas penas em cada canto da cidade, fazem isto até atingirem o ponto mais alto que tem o rio... e quando chegarem lá lançam as penas que sobrarem lá para dentro. Mas depois de tudo isto têm também de apanhar todas as penas que lançaram ao rio...voltarem para trás e apanhar também todas aquelas que puseram em todos os cantos da cidade.

Ficaram perplexos e disseram que tal seria impossível, pois quando voltassem para trás a maior parte das penas já teriam voado. ao que o pastor lhes respondeu:

-Exactamente. O que está feito, feito está! Não conseguiriam apanhar as penas bem, pois tudo o que nós fazemos, bem ou mal, não conseguimos voltar atrás e não fazer. Portanto, tudo deixa a sua marca!

 

 

Ouvi hoje esta história e achei que apesar de ser simples...tem muito significado! Realmente tudo deixa marcas...e devemos pensar duas vezes antes de fazer ou dizer algo sem termos a certeza que é verdade em relação aos outros.


publicado por coraxaodemanteiga às 14:01
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 22 de Maio de 2006

Nas aulinhas...

Pois...realmente não era suposto eu estar a actualizar o meu blog precisamente no tempo de aula de Química...mas eu não estaria a fazer tal coisa se na escola tivesse condições para trabalhar! Temos um trabalho para apresentar...resolvi fazer um blog porque agora ando com a mania dos blogs, porque o professor está sempre a pedir trabalhos com imaginação e também porque estou farta da monotonia dos trabalhos escritos! Só que o meu computador da escola não me deixa organizar o blog...enfim!!! Portanto vou subir e dizer ao meu professor que não há condições na esperança que ele me deixe sair mais cedo para ir terminar o meu trabalhinho em casa! Quando era pequena queria ser primeira ministra (para mudar o mundo podia muito bem começar por mudar o meu pequeno país), desisti... não sei porquê! Acho que vou voltar a pensar seriamente no assunto...


publicado por coraxaodemanteiga às 15:07
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 17 de Maio de 2006

Perdoar...

Sábado encontrei um amigo meu que não via há muito...e como sempre tivemos aquelas conversas gigantes...falámos falámos falámos...não nos víamos há imenso tempo mas ele ainda se recordava de todas as coisinhas que eu lhe contei sobre mim! Olhei para ele...e estava diferente...mas continuava o mesmo rilhas d smpre...os mesmos olhos sinceros...as mesmas piadas...o mesmo sentido de humor e acima de tudo o mesmo coração de ouro! Realmente acho que foi Deus que te pôs na minha vida naquele dia para me ajudares a acalmar aquele bichinho que andava aqui dentro..."Tens de perdoar Sara..."...e como tens razão meu amigo!

muitas vezes ficamos orgulhosos...é impossível perdoar...é impossível desculpar o que ele me fez...o que ela me fez...o que eles disseram...mas tal como tu dizes..."perdoar não esquecer"...perdoar é algo que faz com que consigamos encontrar paz...estarmos bem com nós próprios...já repararam que quem sofre é aquele que não perdoa?

Perdoei-te...aliás quem sou eu para não perdoar? uma mera mortal...humana...que também erra...que também é perdoada! mas sou defensora de que se as coisas acontecem é por um motivo...para se aprender...e eu aprendi...não esqueci!

Sinto-me aliviada...obrigada rilhas!


publicado por coraxaodemanteiga às 20:49
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 12 de Maio de 2006

Amar...

Amar!


Eu quero amar, amar perdidamente!
Amar só por amar: Aqui...além...
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente
Amar!Amar!E não amar ninguém!


Recordar?Esquecer?Indiferente!...
Prender ou desprender?É mal?É bem?
Quem disser que se pode amar alguém
Durante a vida inteira é porque mente!


Há uma Primavera em cada vida:
É preciso cantá-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!


E se um dia hei-de ser pó,cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder... pra me encontrar...

 

Florbela Espanca

 



publicado por coraxaodemanteiga às 19:31
link do post | comentar | o que dizem??? (3) | favorito

Era uma vez...

"Meninos quero que me escrevam algo sobre todos estes anos da vossa vida!"

E assim fiz...e aqui está o que escrevi...

O interessante é vermos como a vida muda mesmo...e que "Por vezes aprendemos mais numa semana do que em anos!"...Como entretanto a vida já mudou...

 

 

 

Era uma vez um homem e uma mulher que, de certeza, se amavam muito...

Ele, alto, magro, bastante mais velho que ela, e que adorava comer pão com marmelada e queijo, chamava-se Afonso...nome de rei!

Ela, alta, cabelo encaracolado, olhos sinceros, chamava-se Margarida!

Conheceram-se não sei quando, não sei onde, não sei como...mas apaixonaram-se...entregaram-se um ao outro e nasci eu...nasci grande, diz a minha mãe... "Eras comprida...".

Acho que o Amor se foi perdendo...não sei se foi o Amor...não sei se foi o respeito...talvez o carinho...a paciência...a verdade é que algo se perdeu...e ele saiu de casa! Lembro-me muito bem desse dia e...meu Deus, como as crianças são ingénuas...disseram-me "Sara, o pai vai para Lisboa!" e eu...pedi que me trouxesse uma prenda! A verdade é que ele voltou no dia a seguir com uma caixa enorme de canetas!

O tempo passou...a vida continuou...até que um dia o meu pai morreu...

Acho que senti isso, mesmo antes da minha mãe me contar...Sei que existe algo que na realidade nos faz sentir quando alguém que amamos parte...

Nesse dia tive uma enorme vontade de falar com ele...tinha de lhe telefonar...Lembro-me como se fosse hoje...

Era o último dia de aulas do 4º ano...recebemos uns Diplomas e estávamos todos muito crescidinhos...íamos entrar finalmente na escola dos grandalhões...pedi logo à minha mãe para ligar ao pai...eu tinha de lhe contar porque ele ia ficar muito orgulhoso da sua filha mais nova já estar tão grande...e e eu sei que estava...e sei que hoje ainda está!

Custou-me...durante muito tempo não soube como lidar com o facto de não ter pai...de saber que ele tinha partido para longe de mim...para um sítio sem volta...mas há medida que fui crescendo fui tornando isso em algo positivo...sei que ele tem estado lá em cima a olhar por mim durante todos estes anos...tem visto todas as minhas asneiradas ao longo da vida...e tenho a certeza que tem tido orgulho de mim com as minhas conquistas!Tem rido e chorado comigo...e até acho que de certa maneira me protege de todos os ventos maus!

Há bem pouco tempo foi o dia do pai...tive saudades...saudades daquelas alturas em que corria para ele com aqueles presentinhos que o jardim de infância fazia com que nós fizéssemos sempre...e lhe dava um grande abraço! Não me lembro de lhe ter dito que o amava...e isso durante muito tempo fez com que o coração doesse...o facto do meu pai ter partido sem ter ouvido da minha boca o que me ia no coração! Mas pela primeira vez de todos os dias do pai que se passaram depois da sua partida...não chorei...não senti raiva...não senti revolta...Acho que pela primeira vez transformei a partida dele em algo de positivo...em alguém que está sempre perto...sempre a proteger-me e que sabe e ouve todas as noites o meu coração a dizer que o ama! Sinceramente acho que...cresci!

Hoje volto a sentir o mesmo que naquele último dia de 4º ano...estou no fim do 12º ano...e vamos finalmente todos entrar na escola dos grandalhões...mas desta vez é diferente...desta vez vamos sozinhos...cada um para o seu lado...sem pais...sem irmãos...sem professores que foram nossos professores durante anos e que de certa maneira acabam por ser nossos alicerces...meu Deus...quem é que me vai ouvir quando eu chegar a casa chateada por um teste me ter corrido mal? Quem é que me vai ouvir quando eu chegar a casa triste por me ter aborrecido com um amigo meu?Não há mãezinha para levar à escola...não há mãezinha para dar apoio...ai como tudo isto assusta!

Vivi momentos muito bons aqui...momentos menos bons...momentos maus...mas todos eles foram importantes...todos eles especiais...e sinceramente não apagaria nada na minha vida...nem os meus erros...porque foi com eles que aprendi...com os meus erros tentei melhorar-me a mim própria...com os momentos maus aprendi a dar valor aos momentos bons...porque se pensarmos bem...se na vida apenas existissem momentos bons nunca lhes saberíamos dar o devido valor...

Sofrer faz bem...doer faz bem...faz-nos crescer...e como eu sinto que cresci...

Cresci...Cresci e passei a dar mais valor à vida...a todas as coisas...às mais pequenas coisas...porque a vida é tão bonita!!!Todos os amanheceres...cada novo dia é uma benção na nossa vida...e pôr do sol...uma conversa com os amigos...um abraço...um colo amigo...um dia de chuva e todos tancados dentro de casa...Tudo isto aprendi com todas as pessoas que têm feito parte da minha vida durantes todos estes anos!!

Houve uma pessoa na minha vida que me mudou bastante...o César!Acho que me perdi totalmente com ele...ele exigia demais de mim...exigia que me afastasse dos meus amigos...chateava-se com tudo...nunca tive nenhuma fase na minha vida tão instável...tão frágil...até que ele tomou a decisão certa e resolveu acabar com uma situação que já estava terminada há muito tempo!Éramos diferentes...mas amámo-nos, sei disso...acho que ele me amadureceu bastante...fez-me sair do mundo dos príncipes e das princesas...tornei-me mais realista...menos crédula...mas acima de tudo tornei-me mais eu!Porque afinal toda esta caminhada serve para nos encontrarmos verdadeiramente, não é?

Fui magoada...mas sei que também magoei bastante...talvez porque as relações são assim...é impossível tal não acontecer...e ainda bem porque se assim fosse seria tudo tão monótono...não dava para se fazer as pazes...e fazer as pazes é tão bom!

Aprendi a perdoar...perdoei...fui perdoada...

Tantas outras pessoas mexeram cá dentro...

A Joana...acho que não poderia não falar nela ao recapitular todos estes anos da minha vida...não posso dizer que não gosto dela como muita gente pensa que sim!Não posso dizer que não me importo com ela como muita gente pode pensar que sim...porque eu gosto dela...ao longo de todos estes anos acho que fomos criando uma relação, que não é das melhores...das mais amigáveis, mas que acaba por ser forte...somos muito diferentes!Já ouvi várias versões de várias pessoas... "Vocês dão-se mal porque são muito parecidas!"...mas eu acho que não...eu quando olho para a Joana apenas consigo ver nela a mesma força, determinação, coragem e sonho de podermos mudar o mundo...mas temos maneiras bastante diferentes de ver esse mundo que nos rodeia!A Joana serviu sem duvida para eu amadurecer bastante...muitas vezes não soube fazer-lhe frente...mas ajudou-me de uma maneira crucial a encontrar-me a mim propria!

A Milene...a Milene é alguém que sinceramente me magoa bastante! Gosto dela...gosto muito dela...e sinto por ela um carinho muito, mas mesmo muito especial...sinto-me de certa maneira responsável por ela...sinto-me como uma mãe para ela e...acabo por o ser na realidade! A Milene faz asneira e a Sara dá-lhe um sermão...a Milene tem um problema vai à Sara para o resolver...a Sara é a mãe!Mas quando disse que a Milene era alguém que me magoava bastante foi no sentido da falta de sensibilidade dela para comigo...isto é...ela por vezes esquece-se que eu também sou uma adolescente com todos os seus traumas...problemas...que tanbém stresso quando me aparece uma borbulha mesmo no meio da testa no dia em que ia ter com o meu namorado...que também stresso porque me deitei tarde...que também stresso porque me chateei com o namorado...porque perdi a novela...e por todos aqueles motivos que costumam deixar os adolescentes de rastos...porque ela vive concentrada nela própria! Bolas...eu sei que ela tem um problema crucial...grande...e provavelmente sem resolução aparente..mas sempre lhe deu todo o apoio...sempre fui o refúgio dela para todas as situações...sempre estive disponível...sempre larguei todas as minhas coisas para lhe dar o meu ombro quando ela pensava que todo o mundo se estava a desmoronar...e eu já senti o meu desmoronar e ela "já ter coisas combinadas"!Gostava que ela agarrasse no problema dela...e ganhasse garra...lhe desse força para enfrentar a vida...transformar algo em positivo...porque a vida tem-me mostrado que não pára por nós termos vontade de a fazer parar...ela continua, sempre...segundo após segundo...minuto após minuto...e nós deitamo-nos na cama que fazemos!Mas continuarei sempre aqui para ela...

A Raquel...gosto muito dela...já nos magoámos várias vezes...já erramos várias vezes!Mas acho que crescemos bastante as duas nestes últimos tempos...sinto que estamos a investir novamente na nossa relação...de uma maneira mais saudável...madura...e acima de tudo...sincera!E quero mesmo muito que ela seja feliz!!!

O Arturzinho e o Pedro...a discussão que tivemos este Verão e o facto de termos feito as pazes fez-me dar o valor devido a amizade...as verdadeiras amizades não acabam...apesar dos amigos de vez em quando se magoarem!Mas também só se magoam porque se interessam uns com os outros!

O Cândido...a minha relação com o Cândido começou tão mal!!!Lembro-me perfeitamente que não gostava nada dele!O Cândido era o encanto da malta...principalmente das raparigas...mas eu não simpatizava com ele, e sei que o sentimento era recíproco!Aos poucos fomo-nos aproximando...fomo-nos conhecendo e hoje ele é o meu melhor amigo!Foi alguém que realmente nunca me faltou...sempre ali...nos momentos bons...nos momentos menos bons!Talvez ainda venha a ser o padrinho dos meus filhotes!

Por falar em padrinhos...não poderia deixar de falar na Pipinha!A Pipinha foi alguém que sempre esteve na minha vida...quando éramos pequenas fizemos uma promessa..."Vamos ser a madrinha de casamento uma da outra!" e ainda hoje levamos essa promessa a sério!Andei no infantário com ela...no colégio Algarve e encontrei-a novamente em Almodovar!Pela Pipa sinto algo mesmo de manas...aquele amor que sabemos que vai existir sempre, sabe? Nunca fui para casa chateada com ela e não me lembro de nenhuma vez que as nossas discussões não tenham acabado em risotas e abraços! Enfim...manas!

O Renato foi também uma pessoa que sempre me impressionou bastante...tenho muito orgulho nele!Por vezes irrita-me a dificuldade que ele tem em reconhecer que errou e que não sbe (isto com os professores!) porque acho que as pessoas devem ser humildes...mas ele sem ser nisso...sempre foi uma pessoa muito humilde, calma, sempre em paz...e, na minha opinião, o responsável pela pacificação de inúmeros conflitos que têm surgido na nossa turma!Para mim ele é um exemplo de força...porque sei que a vida dele também não tem sido um mar de rosas...no entanto ele tem garra...ele luta...e tem uma dedicação a 100% à escola...ao seu futuro...não deixando os seus amigos de parte!Gosto dele...e quero que ele seja muito feliz!

O Miguel...o Miguel tem sido uma pessoa espectacular comigo...faz-me sentir bem a todos os níveis, uma vez que me deixa fazer a minha vida...respeita-me...gosta dos meus amigos e não implica por eu falar com este e com aquele!Tem sido um contributo muito importante para mim e ajudou-me a reconstruir...apareceu na altura mais frágil da minha vida...e foi juntando os meus bocadinhos...fortalecendo-me...meu Deus!Como ele teve paciencia para me aturar!Fez-me acreditar no Amor novamente...pode tudo terminar...talvez quem sabe?Só Deus...mas eu sei que ele existe porque sinto isso com ele...quem ama dá espaço e prende ao mesmo tempo...como aquela história da areia..."Não devemos apertar demasiado senão a areia cai...nem abrir a mão totalmente senão o vento leva-a consigo...devemos deixar a mão semi aberta para a protegermos de todos os ventos e a deixarmos connosco na mesma!". É isso que o Miguel faz comigo!

Professora Ana Cristina...tem-me ensinado tanta coisa nestes, sensivelmente, dois anos que está na minha vida...admiro-a bastante...acho que qualquer dia resolvo abrir um clube de fãs dela!Mas principalmente gosto da maneira optimista que ela tem de encarar as coisas...ver sempre o lado bom...porque todas as coisas têm um lado bom...e às tantas nada acontece por acaso!Ensinou-me que quando olhamos para um copo nunca devemos dizer que "ele está semi vazio", devemos sempre dizer que ele está "semi cheio", positivismo, alegria, fé, esperança, Amor!

A minha mãezinha...durante muito tempo pensei que as relações com as mães eram assim como a que eu teho com a minha...mas à medida que fui crescendo, que me fui relacionando com os outros, percebi que não!A minha mãe é a pessoa mais importante do mundo para mim, e ela sabe dsso!Desde muito cedo ficámos sozinhas...só nós as duas...eu eela!Temos passado por tudo juntas e acho que isso nos uniu!Sou-lhe eternamente grata por todo o esforço que ela fez para me educar...para me dar tudo aquilo que eu precisei...por todo o carinho e dedicação...tudo o que sou hoje devo-lhe muito e especialmente...a ela!

Poderia falar de muitas outras pessoas...pois todas as pessoas que têm passado na minha vida me têm marcado e ensinado inúmeras coisas!o Fia, que respeita todos os meus dias não, a Lúcia, a Júli, a Sofia, o Marquinho, a minha avó e todas as suas crises, a Lina, o Igor, a Aninha, o meu primão emprestado, que sempre me tem ajudado, e por aí fora...

Sei que todos eles serão o meu porto de abrigo quando eu estiver no meio da tempestade...sei que quando me sentir perdida posso vir até vós para me encontrar...porque no fundo eu sou ees...sou um pouco de todos eles...a vontade de mudar o mundo da Joana, a maluquice da Raquel, a carência da Milene, os argumentos do Pedro, as piadas do Artur, o enrolar do cabelo da Ana, a determinaçõ do Renato, a calma do Marco, o Amor do Miguel, o carinho da minha mãe, o orgulho da minha avó, o riso da Lúcia, o sorriso da Juli, as filosofias do Cristiano, as conversas do Cândido, os medos do meu primo, os sarcasmos da Lina...sempre que eu não souber quem sou...basta vir até eles!


publicado por coraxaodemanteiga às 18:34
link do post | comentar | o que dizem??? (4) | favorito

.um pouco de mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 2 seguidores

.pesquisar

 

.Julho 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
25
26
27
28
29

30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.a sonhar agora...

. Sempre...

. ...

. ...

. Felicidade hoje...

. Quando...

. Por vezes...

. Se eu não gostar...

. És aquela...

. Dia muuuuuuito sim...

. Para a vida...

.sonhos guardados...

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

SAPO Blogs

.subscrever feeds